Posted by: guyveloso | 23 de November de 2014

Pierre Verger e Guy Veloso em exposição em Belem (curadoria PAulo Herkenhoff)

Entre dois Mundos: Pierre Verger e Guy Veloso em Belém-PA.

Exposição Pierre Fatumbi Verger e Guy Veloso em Belém-PA

O Salão Arte Pará em sua 33ª edição traz como artistas convidados Pierre Fatumbi Verger e Guy Veloso. Por ideia do curador-geral Paulo Herkenhoff, um diálogo entre estes dois fotógrafos é pela primeira vez engendrado em um tema comum entre eles: rituais afro-brasileiros.

A exposição ficará aberta ao público no Museu Casa das 11 Janelas, Belém-PA, até 09 de dezembro. Interessante é que uma distância de 70 anos separa os registros feitos em Belém-PA: Verger documentou os rituais nos anos 40 do século passado, já Veloso nos traz fotos recentes, de 2013 e 2014.

Segundo o curador-geral Paulo Herkenhoff, “a tarefa dos que querem um mundo mais democrático é não só trazer essas religiões afrodescendentes à visibilidade, mas compreender que elas não estão no campo do folclore nem da supertição, mas no campo dos valores, os mesmos que ligam as pessoas”.

Sim, “Entre dois Mundos” é uma mostra política, pois toca no assunto da intolerância religiosa, levando ao público detalhes pouco expostos do Candomblé e da Umbanda, na clara intenção que quebrar o estigma que há entre os que desconhecem os nuances destas religiões. “Afinal, na medida em que se conhece algo, perde o preconceito, acredito”, opina Guy Veloso.

Verger (1901-1996), nascido na França, viveu grande parte de sua vida em Salvador-Bahia. Desenvolveu um dos mais conceituados acervos imagéticos sobre o país, em especial da cultura afro-brasileira – na qual era adepto. Foi também antropólogo, etnólogo e escritor. As imagens de Fatumbi presente na mostra foram cedidas pelo MABE-Museu de Arte de Belém, com aval da fundação que leva o nome do fotógrafo. Já Veloso (1969), vive e trabalha em Belém-PA, expôs na 29ª Bienal de São Paulo (a chamada Bienal da Retomada) e tem como ênfase a religiosidade brasileira.

 

Serviço:

Entre dois mundos: Pierre Fatumbi Verger e Guy Veloso.

Curadoria Paulo Herkenhoff e Armando Queiroz.

Até 09 de dezembro de 2014.

Museu Casa das 11 Janelas, Belém-PA. Rua Siqueira Mendes, s/n, Centro Histórico.

De terça a sexta, das 10h às 18h. Sábado, domingo e feriados, das 10h às 14h.

Sites: www.pierreverger.org e www.guyveloso.com

 

Ficha Técnica:

Casas de Axé fotografadas (e aqui homenageadas):

Abêmanjá Gbadé, Ilê Asé Agaro Níle, Ilê Asé Oba Okuta Ayara Yntile, Manso Mamsubando Keke Neta Nangetu, Ilê Asé Odé Ibô Nilê, Ilê Asé Iya Omi Olokun, Casa Grande de Mina Jêjê Nagô de Toy Lissá e Abê Manjá Huevy, Yalorishá Elvira do Valle Akalewi, Ilê Asé Iya Oguntè Oguntè, Terreiro de Rei Sebastião e Toya Jarina

Pesquisa (Veloso): Deize Melo, Edivânia Câmara Iyatunde e o autor

Som ambiente: Edivânia Câmara Iya Tunde (voz) e gravação direta de Guy Veloso

Agradecimentos: Alex Leovan, Alex Trindade, Bàbá Ígbin Nilê, Baba Tayando, Daniela Oliveira, Darlene Santos, Pai Elivaldo Santos, Elvira do Vale (Akalewi), Erica Nascimento, Yalorishá Elvira do Valle Akalewi, Frabria Sembler, Fundação Pierre Verger, HuevyOnan De Vodun Olissasa, Eliana Palheta Iya Nare, Jéssica Rabelo, João Duarte, Josino Leandro Souza Jr, Joyce Nabiça, Juliana Flores Ayará Kijinan, Karla Aires de Obaluaê, Luis Laguna, MABE – Museu de Arte de Belém, Mam’etu Nangetu, Maria do Carmo Ferreira, Miltom Soeiro, Neia de Oxumare, Osvaldo lobato, Pai Orunko Oba Ytan (Luciano Teixeira), Roberta Maiorana, Rosa Arraes, Tarik Coelho, Yalorisá Riso Odé Ibô, Yalorisá Rosângela de Abê Acossú, Babalorisá Dr.Walmir da Luz Fernandes Agaro Níle, Yalorisá Rita Iyajite Ogunte, Mãe Rita e Mãe Zenaide

 

 


Categories